Entretenimento

Ultimas Noticias

Ex-procuradora-geral da Venezuela mostra provas de acordo entre corrupção da Odebrecht e governo de Maduro

Luisa Ortega Días chega "Ex-procuradora-geral da Venezuela chega ao Brasil para mostrar provas
de vinculo de corrupção entre a Odebrecht e Governo do Ditador Nicolás Maduro

Resultado de imagem para ex procuradora geral da venezuela

A ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Díaz informou nesta quarta-feira (23) que vai entregar a autoridades do Brasil, Colômbia, Espanha e Estados Unidos provas sobre casos de corrupção envolvendo a Odebrecht e outras empresas no país vizinho.
Ortega Díaz foi destituída do cargo de chefe do Ministério Público venezuelano pela Assembleia Constituinte controlada por Maduro no dia 5 de agosto. Ela desembarcou em Brasília na madrugada desta quarta-feira (23) para uma reunião com colegas do Mercosul.

“Essas provas, as tenho comigo e vou cedê-las a alguns Estados para que procedam a processar as pessoas que as correspondam. A Nicolás Maduro [presidente da Venezuela], Diosdado Cabello, Jorge Rodríguez [ambos aliados de Maduro] e a todos que se envolveram nisso. Mas não somente no caso da Odebrecht”, disse , em entrevista à imprensa.
Em discurso diante de procuradores de países sul-americanos, Ortega Díaz denunciou perseguição por parte do governo Maduro e risco de destruição de provas sobre corrupção envolvendo seus membros.

“Quero denunciar perante o mundo a situação grave da Venezuela: uma corrupção desmedida. E por essa razão, para se protegerem de atos de corrupção, vêm violando a Constituição e a lei. Um dos graves fatos é o desmantelamento do Estado de Direito. Uma Constituinte que foi eleita sem aval do povo, sem ser consultada, arremeteu contra o Ministério Público e contra todas as instituições independentes”, disse.
Ela contou que o Ministério Público da Venezuela foi “assaltado militarmente” por mais de 300 membros da Guarda Nacional e funcionários da polícia política de Maduro, “de forma violenta”.

O procurador-geral do Brasil, Rodrigo Janot, e a procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega Dias, afastada do cargo depois de se opor à convocação da Assembleia Constituinte pelo presidente Nicolás Maduro, participam da 22ª Reunião Especializada de Ministérios Públicos do Mercosul, em Brasília (Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Ortega Díaz ainda alertou os demais colegas sobre o risco de a situação da Venezuela se espalhar pelos vizinhos.

"Na Venezuela, ocorreu a morte do direito. A estabilidade da região está em perigo. O que ocorreu na Venezuela pode permear toda a região. O mais grave disso é que está relacionado ao tema corrupção. Porque tudo que está ocorrendo comigo é por uma série de denúncias que vinha fazendo, mas especialmente pelo ataque à corrupção que temos feito na Venezuela”, afirmou.

Nenhum comentário