Entretenimento

Ultimas Noticias

Procon confirma que Hapvida usa rede pública para tratar clientes com Covid; veja o vídeo

Fiscalização do órgão de defesa identificou cinco clientes do plano em UTIs do Hospital de Campanha de Manaus.


O Instituto de Defesa do Consumidor do Amazonas (Procon-AM) confirmou que o plano de saúde Hapvida está sobrecarregando o sistema público de Saúde do Estado, nesta segunda-feira (15), durante uma fiscalização realizada no Hospital Municipal de Campanha. O fato vinha sendo denunciado desde o início da pandemia - clientes do plano são negligenciados no hospital Rio Negro, do Hapvida, e encaminhados para a rede pública de saúde, superlotando os hospitais e colaborando para o colapso nos hospitais públicos.  


Durante a fiscalização desta segunda-feira (15), cinco pessoas que estavam internadas na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital de Campanha tinham convênio da Hapvida e relataram que foram ignorados ou maltratados nas dependências do hospital do plano. Os agentes gravaram os relatos em vídeo, coletaram documentos dos pacientes e vão anexar ao processo contra a Hapvida. 



Desde o início da crise do novo Coronavirus, o Procon-AM já recebeu dezenas de denúncias com fotos e vídeos de clientes que foram ao hospital Rio Negro, da Hapvida em Manaus, com fortes sintomas de Covid-19 e não receberam atendimento ou foram negligenciados com tratamentos ineficazes. Muitos dizem que só receberam inalação, mesmo com diagnóstico positivo, e foram enviados para casa. Outros disseram que foram encaminhados pelos próprios funcionários da Hapvida para hospitais públicos. Mesmo tendo quase 250 mil clientes no Estado, o Hapvida tem apenas 80 leitos para atender todos os seus pacientes. 

O coordenador de fiscalização do Procon-AM Estado, Pedro Mauro, considerou a situação inaceitável e disse que as provas de negligência e falta de prestação de serviços são robustas. "As pessoas pagam plano de saúde e esse plano tem que oferecer o melhor serviço para seus clientes. Equipamentos eles tem; material ele tem; recursos humanos ele tem. O que faltou foi executar o serviço que recebe para fazer”, declarou 

O Procon/AM já havia notificado a Hapvida no último dia 20 de maio pelo péssimo atendimento prestado e solicitou informações sobre as denúncias, mas a Hapvida negou qualquer irregularidade. Com a comprovação in loco realizada pelo Procon neste dia 15, a ação contra o plano de saúde deve ser bem mais pesada. 

Um comentário: